quinta-feira, 4 de outubro de 2018

QUAL A PERSPECTIVA PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO APÓS ÀS ELEIÇÕES?




Certamente que um investidor, uma pessoa que tem o objetivo de comprar um imóvel hoje deve estar atenta ao cenário econômico e político de seu país. Se indagar sobre quais mudanças devemos esperar na economia com um presidente que pensa e acredita em idéias contrárias ao que temos hoje no poder? Ou se o partido atual ganhar, como será? Não há como ter certezas, é uma incógnita! Mas há grandes evidencias apontando que este é o momento para fazer um bom negócio no mercado imobiliário.

O período eleitoral gera impacto em qualquer mercado mundial e no Brasil não seria diferente. Hoje já sabemos os reais candidatos que irão concorrer ao pleito presidencial, só nos resta saber como serão construídas as coligações depois de vencido o pleito.

No entanto, os principais candidatos, já deixaram mais claro os seus principais programas de governo e isso dá oportunidade para que o mercado planeje e comece a projetar, de modo mais consciente, os possíveis cenários futuros de acordo com o novo presidente, e assim, comece desde já se preparar para o próximo ano.

Como vimos neste ano de 2018, houve um pequeno crescimento no mercado imobiliário neste primeiro trimestre, foi de recuperação econômica, um ano de muitas variáveis tais como: Copa do mundo, combate a corrupção, muitos feriados e vem as eleições. Os profissionais da área estão até mesmo esperançosos, muito diferente de anos anteriores, principalmente em 2015, que na minha opinião foi um dos piores anos para o nicho imobiliário, talvez em sua economia total.



Porém, temos um adendo a essa crise que passamos, é que aprendemos a modificar ao tudo ao nosso redor. Os construtores, até mesmo por necessidade, aprendem com o tempo a fazerem seus lançamento imobiliários no momento certo, os compradores e vendedores ficam aguçados com esta expectativa de novos produtos.

O mal desempenho do mercado é um reflexo do caos financeiro e político no país, com desemprego elevado, atraso de salários de trabalhadores públicos e incertezas sobre o futuro do país.

Mesmo diante do cenário de incerteza e turbulência política, a confiança do consumidor vem voltando, a taxa básica de juros, a Selic, está em um dos patamares mais baixos,e as instituições bancárias reduziram suas taxas de juros para o financiamento imobiliário, as construtoras e empresas do setor demonstram amadurecimento e agem cada vez mais pautadas por um planejamento, pois tiveram que aprender na marra depois destes últimos dois anos de recessão.



Com este novo cenário, a demanda por imóveis novos no setor vem crescendo a cada dia, diminuindo a oferta de imóveis prontos, prejudicada pelo grande período de recessão sem novos lançamentos no setor, o que deve impactar os preços no setor já início de 2019.

Por fim, acredito que depois das eleições o mercado imobiliário deve aquecer, claro que com as devidas preocupações normais do setor, contando com uma pequena queda nas festas de finais de ano, porém com expectativa positiva para os próximos dois anos.

Apesar das tendências para o futuro do mercado imobiliário serem positivas, é preciso cautela ao investir neste segmento. Manter os pés no chão é fundamental, pois, em geral, o setor imobiliário costuma se estabilizar só depois que a economia se consolidar como um todo. Claro que a ressalva não significa estagnar e parar de investir no setor, ao contrário, movimentar o mercado imobiliário é fundamental para fortalecer a economia e ajudá-la a crescer.



Gostou do conteúdo? Veja também nossos outros posts aqui deste novo blog, sempre estaremos postando artigos de assuntos que entrelaçam a Advocacia, Imóveis e Empreendedorismo. Obrigado pela sua atenção e até o próximo post!



Nenhum comentário:

Postar um comentário